Khentrul Lodrö T’hayé Rinpoche

Khentrul Lodrö T’hayé Rinpoche é um monge tibetano e diretor da Katog Choling, uma organização sem fins lucrativos com sede nos Estados Unidos. Khentrul Rinpoche supervisiona mais de vinte grupos de prática na América do Norte e na China, Austrália e África do Sul, bem como um grande centro de retiro nas montanhas do noroeste do Arkansas. Ele também é o abade de Katog Mardo Tashi Choling, no Tibete, onde sua família, chamada “Gonpa-tsang”, supervisiona o mosteiro há várias gerações. Lá, ele estabeleceu uma universidade budista, um centro de retiro de três anos, uma escola primária e vários programas comunitários.  O principal guru raiz de Khentrul Rinpoche foi Sua Santidade (S.S.) Jigme Phuntsok Rinpoche.  Seus outros gurus incluem S.S. Katog Moksa Tulku e S.S. Drubwang Padma Norbu Rinpoche (Penor Rinpoche).

Khentrul Rinpoche é uma das poucas pessoas no mundo a possuir três graus de khenpo – o equivalente a três doutorados – em filosofia budista.  Dois de seus diplomas foram concedidos pelas “Ivy Leagues” das universidades budistas Nyingma – Larung Gar no Tibete e Namdrol Ling na Índia.  Seu terceiro grau khenpo é do Mosteiro Katog, o mosteiro mãe da linhagem Katog. Durante o curso da extensa educação budista de Khentrul Rinpoche, ele também recebeu a ordenação completa como monge e passou vários anos em retiro solitário.  Desde que chegou aos Estados Unidos em 2002, Rinpoche estudou a língua inglesa para se comunicar com os alunos e para supervisionar e colaborar em projetos de tradução de textos budistas.

Rinpoche combina seu profundo conhecimento do cânone budista com uma capacidade igualmente extensa de apresentar informações com simplicidade e clareza. Ele é um especialista em extrair o significado de um ensinamento, transmitindo-o de forma concisa e apoiando-o com lógica e humor bondoso. Embora ele tenha um vasto escopo de especialização e possa ensinar sobre qualquer tratado filosófico esotérico, incluindo aqueles sendo os mais complexos escolásticos, ele enfatiza o treinamento da mente (lojong). Isso porque ele sempre considerou a abordagem do amor, da compaixão e da sabedoria aplicável como a base do caminho, e considerou essas técnicas as mais práticas para domar a mente moderna.  São essas práticas que ele passa para seus alunos, como um salva-vidas, nesses tempos turbulentos. 

História de vida

Vida Pregressa

Khentrul Lodrö T’hayé Rinpoche nasceu no Tibete Oriental em 1965, perto do fim da época de grande faminta durante a Revolução Cultural.  Quando Rinpoche tinha sete anos, ele contraiu uma doença misteriosa. Em um esforço para salvar sua vida, seus pais o levaram a uma senhora idosa que, devido à opressão política, não pôde revelar ser uma monja budista. Ela ofereceu orações de cura para Rinpoche, e secretamente lhe deu votos de refúgio com a cerimônia de “oferecimento de cabelo”, que com o primeiro nível de preceitos de noviço, é o primeiro passo formal para se tornar um budista. 

Ao longo dos anos, a situação política melhorou e, quando Rinpoche estava no final da adolescência, os ensinamentos do dharma começaram a se tornar disponíveis novamente. Rinpoche começou a usar roupas de monge, o que não era permitido anteriormente, e estudou com a última geração de grandes mestres que receberam treinamento antes da Revolução Cultural. Esses mestres foram exemplos vivos de como domar a mente e transformar a adversidade diante de enormes dificuldades.

Um Jovem Monge

O tio de Rinpoche, Tertön Jigme Dorje, era o abade do mosteiro de sua família, Katog Mardo Tashi Choling, e ele tomou Rinpoche sob sua tutelagem. Quando adolescente, Rinpoche estudou os ensinamentos fundamentais e praticou as principais abordagens do dharma chamadas preliminares (ngondro);  treinamento yogue usando os canais e energias (tsalung);  e Meditação da Grande Completude (Dzogchen). Ele também ganhou uma compreensão profunda das artes e cerimônias rituais tradicionais. Ele percorria a região recitando orações para os aldeões locais de modo a remover obstáculos e dificuldades, e realizava ritos pelos falecidos. 

Eventualmente Rinpoche ansiava por uma educação mais formal. Ele queria estudar filosofia budista com mais profundidade do que podia em seu mosteiro, mas seu tio era protetor e não queria que Rinpoche deixasse seus cuidados. Impulsionado por esse grande desejo de expandir seus conhecimentos, no final da adolescência Rinpoche decidiu fugir de casa. Ele e um amigo saíram a pé no meio da noite, depois caminharam por semanas por terrenos acidentados e montanhosos até o remoto mosteiro-mãe de sua linhagem, Katog Dorje Den, no sudeste do Tibete. Lá, o abade-chefe, S.S. Katog Moksa Rinpoche, o aceitou como aluno e o matriculou em seu shedra, uma escola tradicional para aprender filosofia budista. Rinpoche mergulhou entusiasticamente em seus estudos, mas depois de alguns anos, sua grande aptidão para aprender o atraiu para Larung Gar, onde poderia aprofundar ainda mais seus estudos. 

Continuação de Educação: Larung Gar

Quando reconheceu o potencial de Rinpoche, S.S. Moksa Rinpoche o enviou para Larung Gar, a maior e mais rigorosa universidade budista da linhagem Nyingma. Lá, Khentrul Rinpoche conheceu S.S. Jigme Phuntsok Rinpoche, o mestre fundador da universidade. Rinpoche apresentou-lhe uma carta de recomendação pessoal de S.S. Moksa Rinpoche sendo aceito na universidade. Mais tarde, S.S. Jigme Phuntsok Rinpoche se tornaria o guru de raiz de Khentrul Rinpoche – isto é, um professor por quem o aluno sente total confiança e respeito e que o guia em todo o caminho para realizar a verdadeira natureza da mente. 

Em Larung Gar, Rinpoche era muito pobre e ele se perdia esmolas para poder comer, mas estudava muito e dormia apenas duas ou três horas por noite para se concentrar em sua educação. Nessas universidades budistas, não é possível obter um diploma simplesmente frequentando as aulas.  Rinpoche teve que demonstrar não apenas uma excelente erudição nos textos tradicionais, mas também a sabedoria que vem através da prática diligente da meditação. Por tanto, entre tempo de estudos ele passou mais de um ano em retiro.  Após cerca de seis anos em Larung Gar, S.S. Jigme Phuntsok conduziu pessoalmente os testes escolares de Rinpoche e conferiu seu primeiro diploma de khenpo.

Casa e Exterior

Ao receber este diploma, Rinpoche retornou ao mosteiro de sua família, onde passou vários anos ensinando e estabeleceu uma escola para estudos filosóficos superiores [uma shedra]. S.S. Jigme Phuntsok Rinpoche visitou o mosteiro e oficiou as cerimônias de abertura. Embora Khentrul Rinpoche estivesse sendo preparado para se tornar o abade, ele sentiu que ainda havia mais a aprender e decidiu prosseguir com seus estudos. Sem surpresa, ninguém queria que ele fosse embora, então mais uma vez ele partiu em segredo. 

Desta vez Rinpoche foi para Drepung, um mosteiro da escola Gelugpa em Lhasa, onde estudou o Caminho Gradual (Lam Rim), debate e uma variedade de tratados filosóficos. Depois de quase um ano, ele retornou ao seu mosteiro de origem e continuou ensinando. Mais uma vez, no entanto, ele sentiu um profundo desejo de continuar seus estudos em outro lugar, então cerca de um ano depois, Rinpoche partiu pela terceira vez sem contar a ninguém e viajou para a universidade budista associada ao Mosteiro Namdroling no sul da Índia. Embora tenha se matriculado como estudante, logo foi convidado a dar aulas. Um dia, cerca de quatro anos em seus estudos, um monge foi ao seu quarto e disse a Rinpoche que se apresentasse ao templo principal.  Ao chegar lá, Rinpoche soube que o professor principal e fundador do mosteiro, S.S. Penor Rinpoche, iria a conceder-lhe um segundo diploma de khenpo. 

Durante seu tempo na Índia, Rinpoche também foi para uma universidade em Varanasi, onde estudou sânscrito. Além disso, ele recebeu múltiplas iniciações profundas, como o Nyingtik Yabzhi e transmissões de outros mestres, incluindo S.S. Penor Rinpoche, S.S. Dodrubchen Rinpoche, e mais outros. 

Logo após receber seu segundo diploma de khenpo, Rinpoche decidiu mais uma vez retornar ao mosteiro de sua família no Tibete.  Antes que pudesse ir, no entanto, S.S. Penor Rinpoche o enviou para o Tawan, onde Rinpoche passou vários meses ensinando nos centros de S.S. Penor Rinpoche antes de finalmente voltar para sua casa. Após uma breve estada no mosteiro de sua família, Rinpoche continuou viajando para o Mosteiro Katog, onde S.S Moksa Rinpoche concedeu-lhe um terceiro diploma de khenpo, em reconhecimento de suas realizações acadêmicas e pessoais. 

Enquanto Rinpoche ensinava em Tawan, Chagdud Tulku Rinpoche, um professor conhecido da mesma linhagem, o convidou para ir ensinar nos Estados Unidos.  Rinpoche estava finalmente pronto para assumir o papel de abade de seu mosteiro no Tibete e não tinha interesse em ir para os Estados Unidos, e nem o mosteiro de sua família desejava vê-lo partir novamente. No entanto, S.S. Moksa Rinpoche insistiu que ele aceitasse o convite, apontando que khenpos como Rinpoche eram raros nos Estados Unidos.  Assim, em 2002, Rinpoche veio aos Estados Unidos para ensinar filosofia budista na maneira tradicional de um shedra.

Presentemente

Khentrul Rinpoche é um dos únicos khenpos do mundo com três graus de khenpo – o equivalente a três doutorados em filosofia budista. Ele recebeu dois desses diplomas das *“Ivy Leagues” Universidades Budistas Nyingma, Larung Gar no Tibete e Namdrol Ling na Índia. Além de passar vários anos em retiro, ele recebeu toda a linhagem Nyingtik (incluindo Nyingtik Yabzhi, Dzod Dun, Ngalso Khorsum, Yeshe Lama e Chetzun Nyingtik), bem como muitas iniciações, transmissões das escrituras e explicações sobre as instruções essenciais para a prática da Grande Completude (Dzogchen). Rinpoche também recebeu a transmissão oral raramente concedida da linhagem Nyingtik de Khenpo Ngakchung.  De S.S. Jigme Phuntsok Rinpoche, S.S.. Dodrubchen Rinpoche, S.S. Penor Rinpoche e S.S. Katog Moksa, ele recebeu todas as iniciações e transmissões das escrituras para os ciclos Kama e Terma da escola Nyingma, incluindo o Tesouro de Termas (Rinchen Terzod) e o Tesouro  de Instruções Orais (Dam-ngak Dzod).

S.S.. Katog Moksa Rinpoche entronizou Rinpoche em Katog Dorje Den, o mosteiro mãe da linhagem Katog no Tibete, como um tulku (um mestre reencarnado) de Drubtop Namkha Gyamtso, um renomado sidha desta linhagem.  Além disso, ele também foi reconhecido muito jovem por seu tio, Terton Jigme Droje, como a reencarnação de Katog Chagtsa Tulku. 

Khentrul Rinpoche nunca usou seus nomes de reconhecimento de tulku, preferindo se estabelecer como professor por meio de suas próprias qualidades de estudo pessoal, prática e exemplo.  Mas, para criar uma boa interdependência, ele usou o título Khentrul, que significa tanto um khenpo quanto um tulku.

Rinpoche agora dirige o Katog Choling, um centro cultural tibetano sem fins lucrativos com sede nos Estados Unidos, e supervisiona mais de vinte grupos de prática na América do Norte, na Austrália e na África do Sul. Ele regularmente ensina seminários, lidera retiros de meditação e dá palestras públicas em universidades, escolas, prisões, igrejas e outras instituições. Ele continua a servir como um dos principais abades do mosteiro Mardo Tashi Choling no Tibete, onde estabeleceu uma universidade budista, um centro de retiro de três anos, uma escola primária e outros programas comunitários. 

*Expressão americana referente às universidades exclusivamente de ensino superior nos Estados Unidos.

Para mais informações sobre as atividades atuais de Khentrul Rinpoche, como em Mardo Tashi Choling, Katog Choling e outros projetos, visite a página Welcome to Katog Choling (Seja Bem-vindo ao Katog Choling).